Pular para o conteúdo principal

Choose Your Language - by Google

Sobre a Sua Privacidade


Acho importante que você saiba  o seguinte sobre sua privacidade enquanto navega no calor da Forja de Hefestos:

O que são cookies?

Cookies são pequenos arquivos enviados automaticamente pelo servidor de rede ao seu disco rígido quando você acessa qualquer site. Estes arquivos são usados pelo servidor para manter um rastro sobre o padrão de suas preferências. Numa visita posterior à Forja, os servidores reconhecem o cookie e usam as informações armazenadas fazendo com que a página abra mais rápido, além de selecionar o que melhor lhe sugerir, desde artigos no blog até propaganda, tudo baseado na sua navegação na web. 

Obs: os cookies não lêem nada do seu disco rígido.

Quais cookies a Forja pode estar usando?
  • Este Blog tem suporte dos serviços do Google e está sujeito às suas políticas de privacidade .
  • Fornecedores de terceiros em geral, inclusive o Google, usam cookies para veicular anúncios direcionados, com base nas visitas anteriores dos usuários.
  • Com o cookie DART, o Google e seus parceiros podem selecionar anúncios para seus usuários baseados nas visitas feitas aos próprios e/ou a outros sites na internet.
  • Os usuários podem desativar o uso do cookie DART acessando a página de desativação de publicidade
  • Se preferir, você pode ainda desativar o uso de cookies de fornecedores de terceiros acessando a página de desativação da Network Advertising Initiative.
Políticas do  Blogger

A Forja utiliza a plataforma Blogger.

Qualquer dúvida sobre as Políticas do Blogger acesse o link: Políticas de Conteúdo do Blogger

Sobre a interatividade da Forja

Foram tomadas medidas no sentido de garantir que qualquer pessoa possa interagir com a Forja, a partir do perfil de qualquer rede social ou mesmo anonimamente desde que respeitadas as condições impostas na introdução de apresentação dos cometários.

Fiquem à vontade comentar nossos artigos com a garantia de que sua privacidade será respeitada.

Copyright 

Licença Creative Commons
O conteúdo textual do Blog Forja de Hefestos de Paulo Gomes está licenciado com uma Licença

O todo ou parte dos textos aqui publicados podem ser copiados  e publicados desde que se atribua o mérito ao autor, se possível incluindo o link de referência.
Não é permitido o uso comercial dos textos da Forja de Hefestos.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Política - E Agora?

Com 61 votos a favor e 20 contra foi aprovado o afastamento definitivo da Sra. Dilma Rousseff na tarde de quarta-feira, dia 31 de agosto. Os que eram contrários ao processo contra a Ex-Presidente acordaram hoje, dia 1º de setembro, perguntando o que foi que mudou com o impeachment. Argumentam que ainda estamos na mesma situação de ontem, como se uma noite fosse suficiente para desfazer todos os equívocos perpetrados ao longo de 13 anos.

Mas o que realmente mudou a partir da efetivação definitiva de Michel Temer na cadeira da Presidência?

Jornalismo - Maus Exemplos

Na medida em que a crise econômica justifica a demissão de bons profissionais, aumenta cada vez mais o exercício do mau jornalismo. "Um passarinho me contou". É com esta justificativa que o jornalista Bruno Ferrari, colunista da Revista Época publicou um artigo em sua coluna "Experiências Digitais". O artigo é ilustrado por uma foto evidentemente tirada no Japão, mas fala de um caso alegadamente ocorrido em São Paulo. A foto é um sinal evidente de que o corpo da matéria foi construído em frente ao computador com ajuda do buscador de Imagens da Google. O artigo não trás referência a um boletim de ocorrências, nem declarações das pessoas envolvidas e sequer cita o direito de defesa dos acusados. Incorre assim numa série de erros que estão se tornando comuns na prática jornalistica.

O caso noticiado poderia até mesmo ter ocorrido. Mas na medida em que o repórter faz a defesa reiterada de uma das partes envolvidas em outras de suas matérias veiculadas nesta mesma colun…

Economia - O Conto do Vigário

Ninguém sabe ao certo como começou nem a origem do nome. Mas quase todo mundo sabe como funciona o Conto do Vigário. Alguém aparece com a promessa de lucro mirabolante. E tudo o que se tem de fazer é um pequeno investimento para levar uma grande vantagem. O folclore popular conta a história de um vigarista que, há muito tempo, convenceu uma rica família carioca de que seria procurador dos herdeiros do francês que projetou o Cristo Redentor. E vendeu o para os ricaços, prometendo que eles passariam a ter os direitos sobre a visitação da estátua.