Pular para o conteúdo principal

Choose Your Language - by Google

Política - Ministro Lula, O Brevíssimo

maxresdefault
A se confirmar no plenário do STF o julgamento favorável expedido nesta sexta-feira (18 de março) pelo Meritíssimo Senhor Juiz Gilmar Mendes sobre a ação apresentada pelo PSDB e o PPS contra a nomeação do ex-Presidente Lula da Silva para o cargo de Ministro em Chefe da Casa Civil do Governo Dilma, Luís Inácio passa a concorrer ao posto de Ministro com o menor tempo de mandato como Ministro da história deste país, disputando com o ex-Ministro da Justiça também nomeado há poucos dias pela Presidente Dilma Rousseff. O Procurador da República Welington César demitiu-se após onze dias,  quando o mesmo STF decidiu por unanimidade pela incompatibilidade da função de um Procurador com o exercício de cargo público no poder executivo. Lula por sua vez será forçado a sair sem sequer ter entrado. Isso porque a decisão do Ministro Gilmar Mendes tornaria nula a nomeação do ex-Presidente por incompatibilidade moral com o cargo.


Luis Inácio Lula da Silva é investigado pelo Ministério Público de São Paulo por seu supostas irregularidades envolvendo a propriedade do triplex do Guarujá que levaram a suspeita pela prática dos crimes de lavagem de dinheiro e falsidade ideológica, inclusive com um pedido de prisão preventiva tramitando entre os estados de São Paulo e Paraná na primeira instância Federal. A nomeação para o cargo de Ministro tornaria nulo o pedido de prisão sem apreciação do mérito, uma vez que Luis Inácio passaria a contar com foro privilegiado, fugindo assim da alçada dos juízes federais nos estados de origem onde a investigação está em curso.

Foi este exatamente o entendimento do Ministro do STF ao acatar a ação impetrada pelos partidos. Segundo o Juiz Gilmar Mendes a nomeação de Lula para o cargo de Ministro teria a finalidade precípua de livrar o ex-Presidente das investigações levadas a cabo em primeira instância caracterizando a tentativa de obstrução da justiça.

Leia Também:

Lula, que aos seus admiradores parece muito articulado, mesmo quando insere estrategicamente seus cacos nos discursos encomendados que lê nos púlpitos, não demonstra ter o mesmo traquejo com a língua quando confabula em particular com seus companheiros mais próximos. As conversas telefônicas gravadas com autorização da justiça, embora não tenham sido determinantes para a decisão de impugnar a nomeação, foram citadas como indício da intenção de burlar o trâmite das investigações, segundo consta no despacho do Juiz do Supremo.

Seja qual for o julgamento do plenário do STF, está claro que a tentativa de se livrar do processo na primeira instância saiu pela culatra. Mesmo que Lula acabe inocentado da acusação de tentativa de obstrução da justiça, dificilmente o governo vai fugir do julgamento da opinião pública que pode pressionar o Congresso Nacional no processo de impeachment da Presidente em tramitação. Além de abalar severamente a credibilidade que o ex-Presidente poderia ainda gozar no meio político.

O mais grave no caso de acolhimento pelo Plenário do STF é a situação em que se colocou a Presidente da República que, ao nomeá-lo Ministro sabendo das implicações de seu ato, tornar-se-ia passível da acusação de ser cúmplice em flagrante ilegalidade, o que poderia caracterizar um novo crime de responsabilidade distinto daqueles pelos quais já é alvo de um processo de impeachment na Câmara. De todos os ângulos que se veja, a decisão do Ministro Gilmar Mendes é catastrófico para o governo. E justiça se faça mais uma vez, o Lula bem que confidenciou aos companheiros o temor de que isso pudesse acontecer, bem antes de aceitar o convite da Presidente para integrar o Ministério.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Economia - Estaleiro Mauá, Ainda Não é o Fim

Crise do setor naval é mais caótica do que possa parecer
Como você se sentiria se pudesse abrir uma empresa onde não fosse obrigado a investir em novas tecnologias? Onde não fosse preciso buscar a diversificação ou novas metodologias de trabalho, nem buscar o aperfeiçoamento da gestão empresarial, nem nada disso de que depende a sobrevivência das grandes empresas? Se você pudesse continuar a cometer os mesmos equívocos que no passado levaram empresas no mesmo ramo a fechar as portas e mesmo assim continuasse contar com crédito ilimitado no mercado, não importando o quão primários fossem os erros empresarias cometidos? E mesmo assim continuasse a ter prioridade em contratos milionários com a maior empresa estatal brasileira, sem o risco de ser incomodado pela concorrência de empresas estrangeiras? Provavelmente você julgaria ter alcançado o paraíso comercial.
Pois é exatamente assim que se sentem os donos de estaleiros navais. Não importa o que eles façam de suas empresas ou quantos erro…

Opinião - Cleptomania Não É Crime

Comecemos pelo óbvio. Embora a cleptomania não seja um crime, pode levar as pessoas a cometer um crime tipificado no código penal. Dependerá de um juiz aceitar ou não a alegação do distúrbio como atenuante, mas o fato é que, uma vez que a pessoa roube, ela cometeu um crime. Então vamos repetir para não perder o fio da meada: cleptomania não é crime, mas o ato de roubar mesmo quando provocado pela compulsão é.

Jornalismo - O "X" do Triplex

"- Fala companheiro, Tudo tranquilo?
- Você falou de um esquema...
- Ah, tá. É o seguinte... Sabe a Cooperativa? Então. Eu vou mandar construir um prédio inteiro só pra gente... Isso... pra diretoria... Em Guarujá. Você vai ficar com a cobertura, claro."
...
"É... Ninguém precisa pagar nada. Vou cobrar cota extra dos bancários. Eu dou os papéis de 'cotas' pra vocês, assino uns recibos e, para todos os efeitos, vocês são cooperados. Mas tem que declarar, senão vai sujar... Vou passar as mais baratas, só para constar. Não tem erro."