Pular para o conteúdo principal

Choose Your Language - by Google

Opinião - A César o Que É de César

A quem pertencem o sítio em Atibaia e o apartamento Triplex no Guarujá? Quanto a isso não deveria haver nenhuma discussão atualmente. Os imóveis pertencem legalmente àqueles detentores das escrituras oficiais registradas em cartório. O Triplex ao que tudo indica pertence a empreiteira OAS. Do sítio constam como proprietários legalmente estabelecidos os  empresários Fernando Bittar e Jonas Suassuna, seu sócio no empreendimento. Os imóveis definitivamente não são do ex-Presidente Lula. A discussão sobre a propriedade destes imóveis tem servido como uma cortina de fumaça para ocultar o que realmente importa saber. As diversas versões e contra-versões apresentadas à imprensa para explicar as propriedades são de menor relevância no contexto do que interessa.

O sítio em Atibaia e o Triplex não são do ex-Presidente, mas, a se confirmarem os indícios, as benfeitorias feitas nestes imóveis são do Lula. O que realmente interessa é saber se as empreiteiras envolvidas nas investigações teriam feito as obras milionárias que fizeram nos dois imóveis se o ex-Presidente Lula e sua família não os frequentassem ou não demonstrassem nenhum interesse neles. Se as melhorias foram dadas de presente por empresários que mantinham contratos bilionários com o governo do qual Lula foi o principal signatário.
Leia Também:
A se confirmar que, o que motivou o surto de altruísmo pelo qual os empreiteiros se dispuseram a arcar com um prejuízo milionário no balanço de suas empresas foi a presença da família do ex-Presidente nestes endereços, pode-se concluir que as benesses milionárias são sim do ex-Presidente Lula.

É preciso que se respondam a três perguntas óbvias:

- Tal arroubo de desprendimento por parte dos empresários seria possível se não estivessem envolvidos os interesses da figura mais importante da República nos últimos tempos?

- Os empreiteiros teriam feito de bom grado, e gratuitamente, as reformas milionárias no sítio para os reais proprietários, se eles não tivessem disponibilizado o imóvel à família do Lula?

- A empreiteira OAS teria feito as adequações no Triplex do Guarujá se o interessado na compra do apartamento fosse outro que não o ex-Presidente da República?

Se a resposta a estas três perguntas for não, forçoso é admitir que, embora os imóveis não pertençam legalmente à família do ex-Presidente, as benesses que neles foram feitas sim, estas pertencem ao Lula. Esta a questão real que tem sido deixada de lado. Porque, se as benfeitorias foram feitas para e por causa do ex-Presidente, elas pertencem a ele e pertencem porque lhe foram dadas de presente. E, se foram dadas compensações milionárias de presente a um ex-Presidente da República, não se pode desconsiderar a motivação mais plausível para tal desapego por parte daqueles empresários.

Eles deram as reformas de presente ao ex-Presidente porque tinham interesse nos contratos bilionários sobre os quais o partido político ao qual pertence o  ex-Presidente teria total controle para estabelecer as regras licitatórias, eventualmente favorecendo a alguns empreiteiros em detrimento de outros.

Ou então eles são mesmo demasiadamente altruístas e teriam feito as melhorias até se os frequentadores interessados fossemos eu e você.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Economia - O Conto do Vigário

Ninguém sabe ao certo como começou nem a origem do nome. Mas quase todo mundo sabe como funciona o Conto do Vigário. Alguém aparece com a promessa de lucro mirabolante. E tudo o que se tem de fazer é um pequeno investimento para levar uma grande vantagem. O folclore popular conta a história de um vigarista que, há muito tempo, convenceu uma rica família carioca de que seria procurador dos herdeiros do francês que projetou o Cristo Redentor. E vendeu o para os ricaços, prometendo que eles passariam a ter os direitos sobre a visitação da estátua.

Jornalismo - O "X" do Triplex

"- Fala companheiro, Tudo tranquilo?
- Você falou de um esquema...
- Ah, tá. É o seguinte... Sabe a Cooperativa? Então. Eu vou mandar construir um prédio inteiro só pra gente... Isso... pra diretoria... Em Guarujá. Você vai ficar com a cobertura, claro."
...
"É... Ninguém precisa pagar nada. Vou cobrar cota extra dos bancários. Eu dou os papéis de 'cotas' pra vocês, assino uns recibos e, para todos os efeitos, vocês são cooperados. Mas tem que declarar, senão vai sujar... Vou passar as mais baratas, só para constar. Não tem erro."

Economia - O Brasil e a Construção Naval

Em setembro de 1997 o BNDS expediu um relatório que pretendia expor as razões da derrocada da atividade de Construção Naval no país que fez com que caíssemos da 2ª posição no ranking mundial, e 1ª na América Latina, deixando mesmo de figurar entre os 20 países melhor colocados. O conhecimento de tal relatório é de importância fundamental para os que querem entender em que pé nos encontramos agora que retornamos ao cenário mundial e levantamentos indicam que ocupamos a 6ª posição no ranking. 
Porque, apesar de ter sido elaborado há quase 20 anos, o relatório traz informações aplicáveis a atual conjuntura. Entre outras coisas ressalta-se a certeza de que não aprendemos nada com os erros do passado. Continuamos a apostar no protecionismo  e no comprometimento do Estado em prol da incapacidade administrativa dos donos de Estaleiros e Armadores nacionais. Com resultados bastante previsíveis.