Pular para o conteúdo principal

Choose Your Language - by Google

Opinião - Minha História No Orkut

Comunidade do Orkut
Eu mal havia começado a engatinhar na internet. Nem sabia usar direito o e-mail que uma amiga me ajudara a fazer para que pudéssemos nos comunicar pelo MSN.

Foi quando recebi um convite para participar do Orkut. Meio ressabiado criei um perfil que muitos diriam ser um fake, mas que em essência era eu, usando outro nome: 

Eu era agora Saulo de Tarso.


Eu achava estranho este negócio de ficar compartilhando minha vida pessoal com gente que eu nem conhecia. Criada a personagem comecei a procurar por comunidades de debates e, como uma comunidade puxava outra acabei ao fim de algumas semanas chegando à " ComunidadeEu Acredito Em Deus". Na época esta comunidade possuía mais de impressionantes 3.000.000 de membros.


Apesar de eu não ser crente, me chamou a atenção a quantidade de pessoas e o volume de postagens em tópicos que por vezes mal davam para acompanhar. O fato de a comunidade aceitar pessoas das mais variadas correntes de pensamento me fez decidir por fazer da EAD minha base no ORKUT. Até porque eram tantos tópicos, tantos assuntos diferentes abordados, tantos comentários que eu mal tinha tempo para visitar as outras comunidades.

Aos poucos fui fazendo amizade com pessoas maravilhosas, muitas das quais eu tenho orgulho de ainda manter entre meus melhores amigos, mesmo sem nunca termos nos encontrado pessoalmente. Passei a entender perfeitamente o significado da expressão mundo virtual. 

O Orkut era um mundo fervilhante de ideias, uma coisa viciante.

Foi quando veio a minha primeira decepção. Aproveitando-se de falhas no sistema do Orkut, piratas virtuais se apoderaram da comunidade para fins comerciais e começaram a expulsar seus membros mais atuantes, todos os que se revoltaram de alguma forma contra aquela violência e eu no meio deles. Éramos quase duzentas pessoas que eu imagino por mim, ficamos perdidas num limbo temporal sem saber o que fazer.

Começamos a nos mobilizar através de scraps pessoais para denunciar aquele abuso aos administradores do Orkut, sem nenhum resposta satisfatória. Decidimos então que o melhor era esquecermos e partir para outra. Mas outra o que, exatamente?

Resolvemos nos reunir numa nova comunidade, em tudo igual àquela que nos roubaram. Copiamos até a imagem antológica do bebê rezando. Éramos cerca de duzentas pessoas decididas a recriar a maior comunidade do Orkut em meio aos escombros. As coisas não saíram muito bem e algumas dissenções entre nós fez com que houvesse um racha na base do grupo. Eu era o mais novo e fiquei meio perdido no meio dos discordantes. Nesta hora sobressaiu a determinação e a fibra de uma mulher a quem passei a admirar incondicionalmente. Eu estava disposto a ir aonde a liderança da +Nêm C[ampos] me levasse. Nunca me arrependi de ter feito esta escolha.

O resto é histórico. Formamos um grupo coeso; me tornei moderador; criamos juntos regras específicas e firmes para nossa comunidade, a blindamos contra ataques de piratas e até contra os ataques de nossa própria gente, que infelizmente não parecia feliz com o nosso relativo sucesso. Foram tempos difíceis e ao mesmo tempo os mais maravilhosos que eu vivi em toda a minha trajetória no Orkut. Nós vibrávamos com cada novo membro que chegava. Todo dia corríamos para ver o número de pessoas que havia se juntado a nós. Eu me emociono só de lembrar.

Saulo
Minha segunda decepção foi quando meu perfil foi deletado do Orkut. Grandes grupos combinavam de se juntar e denunciar um determinado perfil, por qualquer coisa, enchendo a caixa dos administradores do ORKUT de uma só vez, de modo que eles não tinham outra alternativa senão acatar as denúncias. Pessoas mal intencionadas pretendiam fazer de novo o que haviam feito a antiga EAD.  Meu perfil foi deletado e junto com ele toda minha história, meus tópicos e minhas postagens, minhas fotos, tudo. Eu não era mais nem um fantasma no Orkut. Fui ao inferno pela segunda vez. Quis desistir de tudo. Foi a força da Nêm mais uma vez que não permitiu.

Um dos itens de segurança que bolamos para proteger a EAD dos ataques virtuais era que criaríamos um perfil paralelo para mediar a comunidade. Elias Benavi, meu perfil moderador, era agora meu único elo com meu passado "orkutiano". E foi através dele que juntei os cacos de minha personalidade virtual e me levantei novamente.

Para encurtar a história, hoje somos pouco mais de dez porcento do que já fomos, mas também somos muito mais consistentes do que quando éramos grandes. 37.622 para ser exato. Conseguimos compensar o tamanho com a qualidade de nossos participantes. A EAD é respeitada por quem frequenta o Orkut por ser uma comunidade plural, que reconhece as diferenças, pautada pelo respeito mútuo e a civilidade.

Finalmente, chegamos ao ponto onde vem minha terceira maior e a pior das decepções no Orkut. O Orkut está prestes a acabar definitivamente por decisão unilateral da GOOGLE.

Mas eu não quero falar disso agora. Só quero lembrar de como foi bom ser Saulo de Tarso e Elias Benavi, para enfim me encontrar inteiro como Paulo Gomes
Como eu fui feliz ao longo de todos estes anos!

Um brinde aos recomeços!

Se você também tem uma história para contar, acesse:
Minha História no Orkut
Crie um tópico e conte a sua história no ORKUT

Comentários

  1. Migooooo lindooooo
    Vi toda minha trajetória através do seu artigo.
    Amei...Amei.
    2006 foi qd comecei. Tímida da dar dó, valeu todas as brocas e afagos q recebi. Amadureci anos. Falei tanto da minha depressão e síndrome do pânico que valeu por inúmeras terapias.
    Amava ter um amigo ATEU, inteligente e temperado. A Nemzita que desde o início ganhou minha simpatia. Hj vejo que nunca me enganei com minhas"intuições"
    Me envolvi uma vez numa grande confusão e chorei baldes. Mas compensei tudo com nossa novela virtual do "roskopfi".
    Tantos amigos que eu os imaginava tal qual deveriam ser na vida real.
    Restaram umas incógnitas que nunca descobrirei.
    MAS VALEU CADA DIA SENTADA EM FRENTE AO PC.
    Valeu meu grande migo....jamais esquecerei esses anos dourados.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A sua resposta já valeu eu ter escrito este texto e dissipou todas as dúvidas que eu poderia ter sobre a validade do tema. Eu me perguntava se poderia haver alguém que se sentisse assim como estou me sentindo agora. Saber que não estou sozinho é reconfortante. Vamos superar isso, como sempre.

      Um brinde aos recomeços!

      Excluir
  2. Meu grande amigo Paulo e eterno Saulo .Chorei agora...Saiba que tudo o que menciona sobre mim, tive em dobro de vc . Horas difíceis passamos, varias, e vc sempre la firme como uma rocha , não me deixava esmorecer . Quantas vezes pude ficar inteira e proteger o nosso espaço, pela tua infinita compreensão em sábias e objetivas palavras.. Do fundo do meu coração lhe agradeço companheiro de todas as horas! Meu grande abraço e compartilho teu pesar imenso pela destruição de um espaço que fez historia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não podia deixar que o Paulo Gomes lhe respondesse. Tinha de ser eu.

      Quando deletaram meu perfil foi você quem o resgatou. O Paulo tem lá seus motivos para ter feito um perfil no Google. Mas eu Nemzita, eu existo por sua causa.

      Se não fosse por você o Paulo teria desistido de mim, do Orkut, de tudo. Mas você não deixou.

      Então eu lhe agradeço por sua generosidade e pela integridade com que sempre tratou não só a mim, mas a todos quantos tiveram o privilégio de interagir com você. Embora alguns não tivessem a pureza necessária para entender suas convicções.

      Um beijo neste seu enorme coração.

      Excluir
    2. Obrigada, obrigada e obrigada ! Emocionada....

      Excluir

Postar um comentário

Seja bem vindo! Deixe um comentário e nós responderemos assim que possível.

Postagens mais visitadas deste blog

Economia - O Fundo do Poço

No final de 2015, até meados de 2016, muitos torciam para chegarmos logo ao fundo do poço, na esperança de que, não tendo mais para onde descer, começássemos a subir. Os mais pessimistas avisavam que seria bom não encontrarmos um lamaçal que nos prendesse no fundo por muito tempo.

Justiça - Ineditismos

Mais uma vez o Judiciário se vê envolvido em polêmicas, sendo acusado de interferir no funcionamento do poder Legislativo. Uma acusação grave, que coloca em questão o princípio básico da autonomia dos poderes constituídos.

Opinião - Cleptomania Não É Crime

Comecemos pelo óbvio. Embora a cleptomania não seja um crime, pode levar as pessoas a cometer um crime tipificado no código penal. Dependerá de um juiz aceitar ou não a alegação do distúrbio como atenuante, mas o fato é que, uma vez que a pessoa roube, ela cometeu um crime. Então vamos repetir para não perder o fio da meada: cleptomania não é crime, mas o ato de roubar mesmo quando provocado pela compulsão é.