Pular para o conteúdo principal

Choose Your Language - by Google

Educação - A Tirania da Ignorância


Ignorantes liderando ignorantes
O Grande Ignorante, não conhecendo nada além da ignorância, e consequentemente não tendo nada mais ao que apelar, apela naturalmente para a ignorância. O Grande Ignorante desdenha da possibilidade de existência de pessoas esclarecidas, com o mínimo de inteligência, capazes de perceber a imbecilidade dele. Existe uma razão lógica para o Grande Ignorante se sentir uma pessoa acima da média, do tipo que pode ditar e contradizer a realidade dos fatos ao seu bel prazer. As razões do Grande Ignorante são os outros ignorantes. Ignorantes que idolatram o Grande Ignorante e se sentem felizes por sua ignorância. Ignorantes que não se sentiriam satisfeitos por nenhum outro motivo além da própria ignorância.


Somente os apaixonados ignorantes não percebem a manipulação grosseira de fotos que fazem parecer que o Ignorante Mor está bem de saúde e sorridente junto à família, quando na verdade encontra-se entubado e moribundo na unidade de terapia intensiva de um hospital terceiro mundista, ao qual ele passou a vida negando recursos técnicos, profissionais e financeiros. O Grande Ignorante mente descaradamente sobre as condições mais evidentes enquanto chama de mentirosos logo aos profissionais sérios, que tentam esclarecer os fatos. E, em vez de acreditar naqueles que querem minimizar os efeitos da crassa ignorância, os ignorantes sempre preferirão acreditar no Grande Ignorante. Afinal eles são orgulhosos por sua ignorância.

O Grande Ignorante, acuado e levado de roldão por um choque de realidade, ainda lançará mão de mais um argumento escuso. Garantirá a seu séquito que todo o mal do mundo se deve aos outros, nomeadamente a seus inimigos políticos. Convencerá aos ignorantes que uma grande potência mundial dispendeu tempo e dinheiro desenvolvendo um tratamento revolucionário, capaz de causar as doenças mais atrozes nos governantes de republiquetas. Para os ignorantes que o admiram não importa se existe alguma possibilidade científica ou não de tal plano ser levado a cabo. Importa a palavra do Grande Ignorante. Ele pode convencê-los de qualquer coisa.

O Grande Ignorante pode convencer a população de que todos os grandes problemas da educação podem ser resolvidos aprovando automaticamente para o ensino médio estudantes que mal conseguem assinar o próprio nome. Pode ainda prometer garantir vagas nas universidades para estes alunos semi-analfabetos através de cotas que tem por mote a contemplação de bases tão retrógradas quanto a classificação racista da população, estigmatizando aqueles negros, pardos e índios que conseguiram alcançar o nível superior de ensino por seus próprios méritos.

A tirania do Grande Ignorante se revela quando, além da famigerada aprovação automática e das cotas racistas, ele premia com bolsas as famílias que possuem filhos matriculados nestes arremedos de escola, estimulando-os a que produzam mais filhos da ignorância. Eis aí denunciado o objetivo tirano de todo Grande Ignorante. Tudo o que ele quer é formar cada vez mais ignorantes que venham a engrossar as fileiras daqueles que, por idolatria cega, os perpetuarão no poder com seus votos.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Economia - O Fundo do Poço

No final de 2015, até meados de 2016, muitos torciam para chegarmos logo ao fundo do poço, na esperança de que, não tendo mais para onde descer, começássemos a subir. Os mais pessimistas avisavam que seria bom não encontrarmos um lamaçal que nos prendesse no fundo por muito tempo.

Justiça - Ineditismos

Mais uma vez o Judiciário se vê envolvido em polêmicas, sendo acusado de interferir no funcionamento do poder Legislativo. Uma acusação grave, que coloca em questão o princípio básico da autonomia dos poderes constituídos.

Opinião - Cleptomania Não É Crime

Comecemos pelo óbvio. Embora a cleptomania não seja um crime, pode levar as pessoas a cometer um crime tipificado no código penal. Dependerá de um juiz aceitar ou não a alegação do distúrbio como atenuante, mas o fato é que, uma vez que a pessoa roube, ela cometeu um crime. Então vamos repetir para não perder o fio da meada: cleptomania não é crime, mas o ato de roubar mesmo quando provocado pela compulsão é.