Pular para o conteúdo principal

Choose Your Language - by Google

Educação - A Tirania da Ignorância


Ignorantes liderando ignorantes
O Grande Ignorante, não conhecendo nada além da ignorância, e consequentemente não tendo nada mais ao que apelar, apela naturalmente para a ignorância. O Grande Ignorante desdenha da possibilidade de existência de pessoas esclarecidas, com o mínimo de inteligência, capazes de perceber a imbecilidade dele. Existe uma razão lógica para o Grande Ignorante se sentir uma pessoa acima da média, do tipo que pode ditar e contradizer a realidade dos fatos ao seu bel prazer. As razões do Grande Ignorante são os outros ignorantes. Ignorantes que idolatram o Grande Ignorante e se sentem felizes por sua ignorância. Ignorantes que não se sentiriam satisfeitos por nenhum outro motivo além da própria ignorância.


Somente os apaixonados ignorantes não percebem a manipulação grosseira de fotos que fazem parecer que o Ignorante Mor está bem de saúde e sorridente junto à família, quando na verdade encontra-se entubado e moribundo na unidade de terapia intensiva de um hospital terceiro mundista, ao qual ele passou a vida negando recursos técnicos, profissionais e financeiros. O Grande Ignorante mente descaradamente sobre as condições mais evidentes enquanto chama de mentirosos logo aos profissionais sérios, que tentam esclarecer os fatos. E, em vez de acreditar naqueles que querem minimizar os efeitos da crassa ignorância, os ignorantes sempre preferirão acreditar no Grande Ignorante. Afinal eles são orgulhosos por sua ignorância.

O Grande Ignorante, acuado e levado de roldão por um choque de realidade, ainda lançará mão de mais um argumento escuso. Garantirá a seu séquito que todo o mal do mundo se deve aos outros, nomeadamente a seus inimigos políticos. Convencerá aos ignorantes que uma grande potência mundial dispendeu tempo e dinheiro desenvolvendo um tratamento revolucionário, capaz de causar as doenças mais atrozes nos governantes de republiquetas. Para os ignorantes que o admiram não importa se existe alguma possibilidade científica ou não de tal plano ser levado a cabo. Importa a palavra do Grande Ignorante. Ele pode convencê-los de qualquer coisa.

O Grande Ignorante pode convencer a população de que todos os grandes problemas da educação podem ser resolvidos aprovando automaticamente para o ensino médio estudantes que mal conseguem assinar o próprio nome. Pode ainda prometer garantir vagas nas universidades para estes alunos semi-analfabetos através de cotas que tem por mote a contemplação de bases tão retrógradas quanto a classificação racista da população, estigmatizando aqueles negros, pardos e índios que conseguiram alcançar o nível superior de ensino por seus próprios méritos.

A tirania do Grande Ignorante se revela quando, além da famigerada aprovação automática e das cotas racistas, ele premia com bolsas as famílias que possuem filhos matriculados nestes arremedos de escola, estimulando-os a que produzam mais filhos da ignorância. Eis aí denunciado o objetivo tirano de todo Grande Ignorante. Tudo o que ele quer é formar cada vez mais ignorantes que venham a engrossar as fileiras daqueles que, por idolatria cega, os perpetuarão no poder com seus votos.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Economia - O Conto do Vigário

Ninguém sabe ao certo como começou nem a origem do nome. Mas quase todo mundo sabe como funciona o Conto do Vigário. Alguém aparece com a promessa de lucro mirabolante. E tudo o que se tem de fazer é um pequeno investimento para levar uma grande vantagem. O folclore popular conta a história de um vigarista que, há muito tempo, convenceu uma rica família carioca de que seria procurador dos herdeiros do francês que projetou o Cristo Redentor. E vendeu o para os ricaços, prometendo que eles passariam a ter os direitos sobre a visitação da estátua.

Jornalismo - O "X" do Triplex

"- Fala companheiro, Tudo tranquilo?
- Você falou de um esquema...
- Ah, tá. É o seguinte... Sabe a Cooperativa? Então. Eu vou mandar construir um prédio inteiro só pra gente... Isso... pra diretoria... Em Guarujá. Você vai ficar com a cobertura, claro."
...
"É... Ninguém precisa pagar nada. Vou cobrar cota extra dos bancários. Eu dou os papéis de 'cotas' pra vocês, assino uns recibos e, para todos os efeitos, vocês são cooperados. Mas tem que declarar, senão vai sujar... Vou passar as mais baratas, só para constar. Não tem erro."

Economia - O Brasil e a Construção Naval

Em setembro de 1997 o BNDS expediu um relatório que pretendia expor as razões da derrocada da atividade de Construção Naval no país que fez com que caíssemos da 2ª posição no ranking mundial, e 1ª na América Latina, deixando mesmo de figurar entre os 20 países melhor colocados. O conhecimento de tal relatório é de importância fundamental para os que querem entender em que pé nos encontramos agora que retornamos ao cenário mundial e levantamentos indicam que ocupamos a 6ª posição no ranking. 
Porque, apesar de ter sido elaborado há quase 20 anos, o relatório traz informações aplicáveis a atual conjuntura. Entre outras coisas ressalta-se a certeza de que não aprendemos nada com os erros do passado. Continuamos a apostar no protecionismo  e no comprometimento do Estado em prol da incapacidade administrativa dos donos de Estaleiros e Armadores nacionais. Com resultados bastante previsíveis.