Pular para o conteúdo principal

Choose Your Language - by Google

Política - Barraco Federal

izabella-teixeira
O que era para ser um Fórum democrático virou um grande barraco, tendo como protagonista uma Ministra da República Brasileira. A autoridade não gostou da manifestação silenciosa de alguém na assistência que levantou o desenho de uma motosserra, como a denunciar a inépcia do governo em coibir o desmatamento que todos sabemos que acontece em nossas florestas. Isso admitido pelo próprio governo. Porque quando eles mostram números indicando a diminuição do desmatamento na verdade estão admitindo que o desmatamento ainda existe. 


Sua Excelência achou por bem que deveria coibir a manifestação e aos berros dirigiu diversos impropérios contra a jovem. E o que era para ser um fórum de debates virou uma feira onde ganha quem grita mais. E a julgar pelos puxa-sacos que apupavam a cada vez que a Ministra gritava a plenos pulmões que a garota não era nem nascida quando ela entrou para a vida pública, a representante deste governo que aí está ganhou o debate.



Quem perdeu foi o Brasil. Estavam presentes à seção representantes do BNDES, do Banco Mundial e mais os Ministros da Noruega e da Alemanha. Izabella esqueceu a quem ela representava na mesa e "subiu nas tamancas" para defender o seu bom nome como servidora pública aposentada, mas que está "trabalhando até agora". O despreparo dos representantes dos Ministérios Brasileiros sempre foi patente. A política do toma-lá-dá-cá incentivada pelo Executivo desde os tempos do ex-presidente Lula nunca privilegiou a capacidade intelectual ou técnica de quem quer que fosse. Sempre foi um jogo de interesses onde cargos importantes nunca passaram de moeda de troca para o partido da situação. E aí está o resultado.

Era ao Brasil, com seus mais de 190 milhões de cidadãos, que a Ministra nomeada deveria estar representando. Mas ela preferiu abusar da autoridade a si inferida para defender seus interesses pessoais. E quais seriam os interesses da ministra naquele momento? Que ninguém ousasse contradizer nada do que ela apresentava, independente de ter ou não ter fundamento. Mesmo que o manifestasse silenciosamente, com um cartaz erguido no fundo da sala. A democracia foi mais uma vez posta de lado, para que os verdadeiros interesses de quem pensa estar no poder demonstrassem suas verdadeiras preocupações.

E os ministros da Noruega e da Alemanha nesta hora devem ter se lembrado da célebre frase do colega francês, Charles de Gaulle. O Brasil até que tem se esforçado. Mas ainda parece longe de ser considerado  um país sério pelas potências mundiais que assistiram perplexas a mais este vexame federal.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Economia - Estaleiro Mauá, Ainda Não é o Fim

Crise do setor naval é mais caótica do que possa parecer
Como você se sentiria se pudesse abrir uma empresa onde não fosse obrigado a investir em novas tecnologias? Onde não fosse preciso buscar a diversificação ou novas metodologias de trabalho, nem buscar o aperfeiçoamento da gestão empresarial, nem nada disso de que depende a sobrevivência das grandes empresas? Se você pudesse continuar a cometer os mesmos equívocos que no passado levaram empresas no mesmo ramo a fechar as portas e mesmo assim continuasse contar com crédito ilimitado no mercado, não importando o quão primários fossem os erros empresarias cometidos? E mesmo assim continuasse a ter prioridade em contratos milionários com a maior empresa estatal brasileira, sem o risco de ser incomodado pela concorrência de empresas estrangeiras? Provavelmente você julgaria ter alcançado o paraíso comercial.
Pois é exatamente assim que se sentem os donos de estaleiros navais. Não importa o que eles façam de suas empresas ou quantos erro…

Opinião - Cleptomania Não É Crime

Comecemos pelo óbvio. Embora a cleptomania não seja um crime, pode levar as pessoas a cometer um crime tipificado no código penal. Dependerá de um juiz aceitar ou não a alegação do distúrbio como atenuante, mas o fato é que, uma vez que a pessoa roube, ela cometeu um crime. Então vamos repetir para não perder o fio da meada: cleptomania não é crime, mas o ato de roubar mesmo quando provocado pela compulsão é.

Jornalismo - O "X" do Triplex

"- Fala companheiro, Tudo tranquilo?
- Você falou de um esquema...
- Ah, tá. É o seguinte... Sabe a Cooperativa? Então. Eu vou mandar construir um prédio inteiro só pra gente... Isso... pra diretoria... Em Guarujá. Você vai ficar com a cobertura, claro."
...
"É... Ninguém precisa pagar nada. Vou cobrar cota extra dos bancários. Eu dou os papéis de 'cotas' pra vocês, assino uns recibos e, para todos os efeitos, vocês são cooperados. Mas tem que declarar, senão vai sujar... Vou passar as mais baratas, só para constar. Não tem erro."