Pular para o conteúdo principal

Choose Your Language - by Google

Política - Barraco Federal

izabella-teixeira
O que era para ser um Fórum democrático virou um grande barraco, tendo como protagonista uma Ministra da República Brasileira. A autoridade não gostou da manifestação silenciosa de alguém na assistência que levantou o desenho de uma motosserra, como a denunciar a inépcia do governo em coibir o desmatamento que todos sabemos que acontece em nossas florestas. Isso admitido pelo próprio governo. Porque quando eles mostram números indicando a diminuição do desmatamento na verdade estão admitindo que o desmatamento ainda existe. 


Sua Excelência achou por bem que deveria coibir a manifestação e aos berros dirigiu diversos impropérios contra a jovem. E o que era para ser um fórum de debates virou uma feira onde ganha quem grita mais. E a julgar pelos puxa-sacos que apupavam a cada vez que a Ministra gritava a plenos pulmões que a garota não era nem nascida quando ela entrou para a vida pública, a representante deste governo que aí está ganhou o debate.



Quem perdeu foi o Brasil. Estavam presentes à seção representantes do BNDES, do Banco Mundial e mais os Ministros da Noruega e da Alemanha. Izabella esqueceu a quem ela representava na mesa e "subiu nas tamancas" para defender o seu bom nome como servidora pública aposentada, mas que está "trabalhando até agora". O despreparo dos representantes dos Ministérios Brasileiros sempre foi patente. A política do toma-lá-dá-cá incentivada pelo Executivo desde os tempos do ex-presidente Lula nunca privilegiou a capacidade intelectual ou técnica de quem quer que fosse. Sempre foi um jogo de interesses onde cargos importantes nunca passaram de moeda de troca para o partido da situação. E aí está o resultado.

Era ao Brasil, com seus mais de 190 milhões de cidadãos, que a Ministra nomeada deveria estar representando. Mas ela preferiu abusar da autoridade a si inferida para defender seus interesses pessoais. E quais seriam os interesses da ministra naquele momento? Que ninguém ousasse contradizer nada do que ela apresentava, independente de ter ou não ter fundamento. Mesmo que o manifestasse silenciosamente, com um cartaz erguido no fundo da sala. A democracia foi mais uma vez posta de lado, para que os verdadeiros interesses de quem pensa estar no poder demonstrassem suas verdadeiras preocupações.

E os ministros da Noruega e da Alemanha nesta hora devem ter se lembrado da célebre frase do colega francês, Charles de Gaulle. O Brasil até que tem se esforçado. Mas ainda parece longe de ser considerado  um país sério pelas potências mundiais que assistiram perplexas a mais este vexame federal.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Economia - O Fundo do Poço

No final de 2015, até meados de 2016, muitos torciam para chegarmos logo ao fundo do poço, na esperança de que, não tendo mais para onde descer, começássemos a subir. Os mais pessimistas avisavam que seria bom não encontrarmos um lamaçal que nos prendesse no fundo por muito tempo.

Justiça - Ineditismos

Mais uma vez o Judiciário se vê envolvido em polêmicas, sendo acusado de interferir no funcionamento do poder Legislativo. Uma acusação grave, que coloca em questão o princípio básico da autonomia dos poderes constituídos.

Artes - Desconstrução dos Mitos

Na medida em que as redes sociais se desenvolveram, aumentou as cobranças por um posicionamento político e ideológico, tanto das pessoas umas com as outras nos seus relacionamentos virtuais, quanto para com artistas nas suas relações com o público.