Pular para o conteúdo principal

Choose Your Language - by Google

In Memoriam - Acabou, Talvez ... (*)

Morte de Donna SummerVocê foi a primeira
A que me ensinou a amar
E vai ficar para sempre perto do meu coração
Mas não é justo que eu diga isso agora

Justo agora que acabou, talvez 

Você tomou esta criança solitária
E ensinou-me os sentimentos
Desanuviou meus olhos
Fez a fantasia parecer real
E agora me dói aqui dentro
Já não posso mudar isso, nem posso esconder

Agora acabou, talvez

Ah agora, eu sei
Não era só você
Fomos, eu e você
Me mudou por dentro
Quando eu quis ser livre
Agora acabou
Talvez

Quando me sentia solitário
Quando eu clamava por alguém
Você me ensinou a viver
Você me ensinou a amar a mim mesmo
E agora me dói aqui dentro
Já não posso mudar nada, nem posso esconder

Acabou, talvez, nunca mais

Ah, agora eu sei
Não foi só você
Fomos nós
Eu mudei aqui dentro
Me fez querer ser livre

Mas acabou
Talvez, nunca mais
Acabou
Não quero que me abandone
Mas eu sei, acabou

Você não sabe o quanto lhe amei
Não sabe o quanto me importo
Nem sabe que ainda lhe amo
Não vou ficar aqui, só
Não se culpe
Não, sou eu
Quero voar como um pássaro
Voar como um pássaro
Sim, contigo aprendi a ser livre


(*) Livre adaptação de "Maybe It's Over" de Donna Summer
Lhe ouvindo aprendi a liberdade, e aprendi o amor.
Descanse em paz, Diva.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Política - E Agora?

Com 61 votos a favor e 20 contra foi aprovado o afastamento definitivo da Sra. Dilma Rousseff na tarde de quarta-feira, dia 31 de agosto. Os que eram contrários ao processo contra a Ex-Presidente acordaram hoje, dia 1º de setembro, perguntando o que foi que mudou com o impeachment. Argumentam que ainda estamos na mesma situação de ontem, como se uma noite fosse suficiente para desfazer todos os equívocos perpetrados ao longo de 13 anos.

Mas o que realmente mudou a partir da efetivação definitiva de Michel Temer na cadeira da Presidência?

Economia - O Conto do Vigário

Ninguém sabe ao certo como começou nem a origem do nome. Mas quase todo mundo sabe como funciona o Conto do Vigário. Alguém aparece com a promessa de lucro mirabolante. E tudo o que se tem de fazer é um pequeno investimento para levar uma grande vantagem. O folclore popular conta a história de um vigarista que, há muito tempo, convenceu uma rica família carioca de que seria procurador dos herdeiros do francês que projetou o Cristo Redentor. E vendeu o para os ricaços, prometendo que eles passariam a ter os direitos sobre a visitação da estátua.

Opinião - Cleptomania Não É Crime

Comecemos pelo óbvio. Embora a cleptomania não seja um crime, pode levar as pessoas a cometer um crime tipificado no código penal. Dependerá de um juiz aceitar ou não a alegação do distúrbio como atenuante, mas o fato é que, uma vez que a pessoa roube, ela cometeu um crime. Então vamos repetir para não perder o fio da meada: cleptomania não é crime, mas o ato de roubar mesmo quando provocado pela compulsão é.