Pular para o conteúdo principal

Choose Your Language - by Google

Filosofia - "Eu Só Sei Que Nada Sei"

apologia_de_socrates
Responda rapidamente: quem disse a célebre frase que tem ocupado a mente de filósofos e pensadores de nosso tempo?

Esta frase tão famosa tem sido injustamente usada por alguns para exemplificar a essência do agnosticismo, conforme proposto nos primórdios da filosofia moderna. Alegar que nada se sabe tornou-se quase como um mantra pelos pretensos iniciados na arte da análise crítica do conhecimento. Em vista destas observações, você talvez esteja entre os que acreditam piamente que foi Sócrates quem afirmou ser sábio por saber que nada sabe. Mas perceba que você pode ter sido enganado por todo o tempo em que teve esta certeza.


Sócrates nunca disse esta frase!


Não se encontra em nenhum dos escritos de Platão, onde ele conta a vida e os ensinos de Sócrates, qualquer frase que possa ser interpretada como afirmando este paradoxo. Ora, quem sabe que nada sabe, sabe alguma coisa e portanto não pode dizer que nada sabe. Dizer-se sábio enquanto confessa que nada saber é uma contradição gritante. No entanto há quem defenda que justamente neste paradoxo insolúvel estaria a essência da verdadeira filosofia.

Paradoxos assim só servem para criar em torno da filosofia uma aura de mistério exclusivista, com pretensões de torná-la uma matéria falsamente obscura, à qual somente pessoas especialmente dotadas podem ter acesso. Na realidade não passa de uma mistificação desnecessária do conhecimento.

Mas se Sócrates não disse "Eu só sei que nada sei", o que de fato ele disse?

Leia Também:
Lemos na "Apologia de Sócrates por Platão" a partir do texto grego, segundo a tradução para o português feito pelo linguista André Malta (Editora L&PM):

“Sou sim mais sábio que esse homem; pois corremos o risco de não saber, nenhum dos dois, nada de belo nem de bom, mas enquanto ele pensa saber algo, não sabendo, eu, assim como não sei mesmo, também não penso saber... É provável, portanto, que eu seja mais sábio que ele numa pequena coisa, precisamente nesta: porque aquilo que não sei, também não penso saber.”

Os leitores talvez concordem que dizer que nada sabe enquanto afirma saber alguma coisa, além de contraditório, é bem diferente de dizer: "Eu não penso que sei o que não sei".

Esta é a frase sobre a qual talvez se pudessem erguer os fundamentos do agnosticismo, porque quem pensa que já sabe alguma coisa, quando não sabe, também já não quer mais saber. Em reconhecer que não se sabe mais do que pode se provado reside a semente da verdadeira busca pelo conhecimento ulterior. A experiência mostra que o conhecimento só pode ser alcançado a partir de uma ciência preexistente, que lhe sirva de base e aponte uma direção, para que a busca não se torne aleatória e, no mais das vezes, infrutífera.

Isaac Newton escreveu: "Se vi mais longe foi por estar de pé sobre os ombros de gigantes".
Pelo conhecimento recebido dos "gigantes" que vieram antes dele, Newton partiu do que já se sabia para um entendimento melhor. Ser sábio é ter humildade para reconhecer as limitações do conhecimento em dado momento, sem no entanto menosprezar o que foi recebido daqueles que percorreram o caminho antes de nós. Um primeiro passo, que pode nos levar mais longe do que eles chegaram.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Economia - O Conto do Vigário

Ninguém sabe ao certo como começou nem a origem do nome. Mas quase todo mundo sabe como funciona o Conto do Vigário. Alguém aparece com a promessa de lucro mirabolante. E tudo o que se tem de fazer é um pequeno investimento para levar uma grande vantagem. O folclore popular conta a história de um vigarista que, há muito tempo, convenceu uma rica família carioca de que seria procurador dos herdeiros do francês que projetou o Cristo Redentor. E vendeu o para os ricaços, prometendo que eles passariam a ter os direitos sobre a visitação da estátua.

Jornalismo - O "X" do Triplex

"- Fala companheiro, Tudo tranquilo?
- Você falou de um esquema...
- Ah, tá. É o seguinte... Sabe a Cooperativa? Então. Eu vou mandar construir um prédio inteiro só pra gente... Isso... pra diretoria... Em Guarujá. Você vai ficar com a cobertura, claro."
...
"É... Ninguém precisa pagar nada. Vou cobrar cota extra dos bancários. Eu dou os papéis de 'cotas' pra vocês, assino uns recibos e, para todos os efeitos, vocês são cooperados. Mas tem que declarar, senão vai sujar... Vou passar as mais baratas, só para constar. Não tem erro."

Economia - O Brasil e a Construção Naval

Em setembro de 1997 o BNDS expediu um relatório que pretendia expor as razões da derrocada da atividade de Construção Naval no país que fez com que caíssemos da 2ª posição no ranking mundial, e 1ª na América Latina, deixando mesmo de figurar entre os 20 países melhor colocados. O conhecimento de tal relatório é de importância fundamental para os que querem entender em que pé nos encontramos agora que retornamos ao cenário mundial e levantamentos indicam que ocupamos a 6ª posição no ranking. 
Porque, apesar de ter sido elaborado há quase 20 anos, o relatório traz informações aplicáveis a atual conjuntura. Entre outras coisas ressalta-se a certeza de que não aprendemos nada com os erros do passado. Continuamos a apostar no protecionismo  e no comprometimento do Estado em prol da incapacidade administrativa dos donos de Estaleiros e Armadores nacionais. Com resultados bastante previsíveis.