Pular para o conteúdo principal

Choose Your Language - by Google

In Memoriam - Winehouse, Uma Última Nota

Amy Winehouse
Ontem, sabadão e estava eu trabalhando (afinal alguém precisa trabalhar neste país e eu sempre me pergunto por que logo eu). Mas enfim, tentava me concentrar na montagem de um complicado interfone, quando lufadas de vento me trouxeram de longe fragmentos de uma notícia:

Winehouse... apartamento... morta!

Estaquei de imediato e agucei os ouvidos, procurando captar alguma coisa que desfizesse minha primeira impressão, quando o toque de meu celular me trouxe de volta. Era uma amiga para me avisar que acabara de assistir no tantantan-tantantantan da Globo a triste notícia. Amy Winehouse acabara de ser encontrada morta em seu apartamento situado ao norte de Londres.

Confesso que a notícia me abalou. Amy era para mim a mais grata surpresa da música contemporânea. A notável influência "jazzistica" recebida de seus pais aliada a sua voz marcante que lembrava as grandes divas do passado, mas com uma personalidade ímpar, me faziam sonhar com a possível redenção da música moderna, vinda não da parte dos dinossauros sagrados, mas por parte de jovens verdadeiramente talentosos.

Cheguei em casa mais cedo para plantar-me em frente a TV que entre os flashs que nada acrencentavam ao que eu ainda não sabia, apresentava o programa do criativo comunicador Luciano Huck (quem disse que a MTV não nunca teve nada que prestasse?). Luciano anunciava a estréia de mais um de seus quadros, o "Olha minha Banda 2011, Especial Rock In Rio". Ele dizia que, de um universo de 40.000 candidatos, tentaria selecionar pelo menos três que merecessem se apresentar no palco do Rock In Rio em setembro.

Finalmente o juri composto pelo Luciano, a Roberta Medina, o Júnior irmão da Sandy, e o Lucas marido da Sandy conseguiram escolher as três bandas. A primeira a ser apresentada foi a banda gaúcha TRI.

Nada contra os garotos de Urugauaina, em quem reconheço um talento musical diferenciado. Mas enquanto eles se apresentavam, fiquei pensando que, se num universo de 40.000 participantes eles seriam o melhor que se poderia escolher, em que universo encontraríamos outra Amy Winehouse?

A estatistica me atingiu com um baque surdo. Talvez nunca mais tenhamos a oportunidade de resgatar o melhor que os grandes do passado nos legaram. Desliguei a TV, coloquei um CD da Billie Hollyday para tocar e voltei a sonhar.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Economia - Estaleiro Mauá, Ainda Não é o Fim

Crise do setor naval é mais caótica do que possa parecer
Como você se sentiria se pudesse abrir uma empresa onde não fosse obrigado a investir em novas tecnologias? Onde não fosse preciso buscar a diversificação ou novas metodologias de trabalho, nem buscar o aperfeiçoamento da gestão empresarial, nem nada disso de que depende a sobrevivência das grandes empresas? Se você pudesse continuar a cometer os mesmos equívocos que no passado levaram empresas no mesmo ramo a fechar as portas e mesmo assim continuasse contar com crédito ilimitado no mercado, não importando o quão primários fossem os erros empresarias cometidos? E mesmo assim continuasse a ter prioridade em contratos milionários com a maior empresa estatal brasileira, sem o risco de ser incomodado pela concorrência de empresas estrangeiras? Provavelmente você julgaria ter alcançado o paraíso comercial.
Pois é exatamente assim que se sentem os donos de estaleiros navais. Não importa o que eles façam de suas empresas ou quantos erro…

Opinião - Cleptomania Não É Crime

Comecemos pelo óbvio. Embora a cleptomania não seja um crime, pode levar as pessoas a cometer um crime tipificado no código penal. Dependerá de um juiz aceitar ou não a alegação do distúrbio como atenuante, mas o fato é que, uma vez que a pessoa roube, ela cometeu um crime. Então vamos repetir para não perder o fio da meada: cleptomania não é crime, mas o ato de roubar mesmo quando provocado pela compulsão é.

Jornalismo - O "X" do Triplex

"- Fala companheiro, Tudo tranquilo?
- Você falou de um esquema...
- Ah, tá. É o seguinte... Sabe a Cooperativa? Então. Eu vou mandar construir um prédio inteiro só pra gente... Isso... pra diretoria... Em Guarujá. Você vai ficar com a cobertura, claro."
...
"É... Ninguém precisa pagar nada. Vou cobrar cota extra dos bancários. Eu dou os papéis de 'cotas' pra vocês, assino uns recibos e, para todos os efeitos, vocês são cooperados. Mas tem que declarar, senão vai sujar... Vou passar as mais baratas, só para constar. Não tem erro."